Followers

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

É faca na caveira mermão!!!

Não se fala de outra coisa. O cinema nacional tão ridicularizado pela grande maioria das pessoas vinha galgando timidamente espaço entre a crítica mais ferrenha na minha opinião; a das massas. Mas dessa vez apesar do infortúnio gerado pela pirataria (ironicamente representada por uma caveira, como o símbulo do BOPE), o filme Tropa de Elite estreou com média invejável de público em todas as salas do país. A que se deve tamanho rebuliço?


"Pois o filme trata bandido como bandido e usuário de drogas como sócios dos traficantes" - disse a VEJA na capa de sua 2.030ª edição...

Concordo.

Já basta de filmes, novelas, seriados e até mesmo desenhos em que o bandido é tratado como mocinho, termina bem no final, enquanto quem tenta manter a ordem e a paz num já tão tumultuado sistema social é visto como bobo. É fato que o que vemos é absorvido por nossa mente, queira concordemos com aquilo que vemos ou não. E o reflexo disso hoje em dia é vastamente percebido por aí. Fazer um favor, uma gentileza, ou ter uma simples medida de educação é visto hoje em dia como um ato de bondade extrema, agraciado com elogios, surpresas e até recompensas. Não que essa última não seja merecida, mas não deveriamos tomar como exceção, aquilo que deveria ser como regra.
O que é um homem de exemplar hoje?
É alguém que paga suas contas em dia, dá boa educação aos filhos, não sonega impostos, age com transparência no trabalho, não mente, etc...
Isso não deveria ser objeto de admiração, deveria ser o ordinário, o normal, o trivial. Mas num tempo onde tudo está tão nivelado por baixo, o simples cumprir de suas obrigações constitucionais já faz do cidadão um tipo de super herói. Quem diria então um policial que cumpre seu dever sem cobrar propina, sem se envolver num esquema de lavagem de dinheiro, ou tráfico de drogas ou armas.
Precisamos de heróis de verdade!
Agora o estereótipo de herói moderno é o policial que entra favela adentro deixando corpos estendidos no chão, que dá tapa e cospe na cara dos outros... Não é bem por aí.
Fato que como dito no filme: "se não fizessemos isso, as favelas já tinham dominado a cidade". Algo extremo, não? Ver como tais medidas, o mínimo necessário pra impedir um caos urbano, uma guerra civil.
Tempos tristes em que vivemos, não?
Mas o que posso fazer pra "cumprir a minha parte" na mudança desse quadro? - você pergunta.
-Entrar para um grupo de extermínio de crimisos? - eu indago
-Não!
A solução não é combater os leões ferozes depois que estão crescidos e rugindo à nossa porta, nas janelas de nossos carros, dentro do caixa do banco eletrônico; embora seja infelizmente necessário que medidas extremas sejam tomadas nesse sentido e que haja gente treinada e preparada pra isso... Mas a saída vem antes, vem em não exterminar o problema desde cedo, como diria o governo e as ONGs. Educação básica é muito bom. Mas sabem qual é o índice de matrícula do brasileiro no ensino básico (1ª série?). 100% segundo dados oficiais.
O que acontece então com esses estudantes?
São seduzidos pelo mundo do crime com promessas (que são cumpridas) de dinheiro fácil, reconhecimento e armas pra se proteger dos "canas".
O que fazer então?
Mudem os valores deles.
Transformemos os traficantes e fomentadores do crime, do mal, nos bandidos e não nos mocinhos, como são vistos por tanta gente. Façam com que todos valorizem os princípios que nos arrancaram através dos anos. Quem é que não ridiculariza um cara sério, que não vai tomar aquela cervejinha e chega em casa fedendo e batendo em quem tá na frente, isso quando não bate e mata uns pelo caminho? Quem é que não tira um sarro daquele coleguinha crente do trabalho que não quer pegar a colega que tá dando mole, porque diz que pra ele mulher é uma só? Quem é que não acha um otário, quem se recusa a fazer uma manobra suja numa negociação pra sair com um dinheirinho a mais na conta?
Legal demais ser mais esperto que os outros, mais descolado que a maioria, e mais rico que o colega da sala ao lado, não?
Então paguem o preço!
um pouco de humor pra descontrair...
e o pior é que se rolasse isso mesmo se bobiar resolvia mto dos problemas lá de Brasília. :X





5 comentários:

Angel disse...

Quem acha que nosso papo de ontem tem influência neste texto levanta a mão? o/

Marquinhos,mais uma vez vc teve a manha ao escrever!

E infelizmente esta é a realidade de hoje, mas ainda existem excessões, graças a Deus!!!

bjim

Pedrinho disse...

Marcolino eu concordo com voce..

Os filmes que levam a gte a torcer pelo bandido, fazem com q isso fique na nossa cabeça com o tempo.

Em cidade de Deus, tem algumas frases do tipo "nao existia roubo na favela do zé pequeno".. e a gente vai se acostumando com isso.

Soma-se a necessidade de um filme diferente com a qualidade do enredo e a atuação do wagner moura e ta explicado o sucesso de tropa de elite! abraçao

Davidson(Doug) disse...

06 o senhor eh um fanfarraoo!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
eh um marcolinho mesmo
abrasssssssss

Pedrinho disse...

haha cs perderam o doug

viro com o maior gás encheu a boca e falou:

SEU MEIA ZERO! VOCE EH UM FANFARRAO

Angel disse...

É um Doug mesmo!!!!

Só me mata de vergonha....rs